• ,Deus Ateu

,Cinco imagens de Mariana Gualberto por Yve Louise

Atualizado: há 4 dias

Corpo investigado e visto, luz e sombra na carne.

Curadoria e seleção: Guilherme Paes e Marcio Tito


Texto escrito por Yve Louise.

Por Mariana Gualberto

O que um corpo carrega de si e do mundo? Em que linha da sua sinuosidade está delimitado o que é fora e o que é dentro? Do que é composto o osso que articula o impulso, o desejo e um novo ponto de vista?

Por Mariana Gualberto

Mariana Gualberto, neste trabalho fotográfico, experimenta trajetórias, concentra o enquadramento no detalhe, realça a luz do minúsculo para entender a minúcia do pelo, condensa o espaço e desconstrói o campo corpóreo para emergir os buracos e as suas sombras, por vezes, mais difíceis de se ver. A fotografia, aqui, é um meio que evidencia o processo da artista, sendo a pesquisa do corpo, em sua multiplicidade, contração e expansão, um convite para o entendimento de possíveis existências.

Por Mariana Gualberto

O autorretrato como linguagem, pode esmiuçar o “eu” em uma infinidade de relações que são extremamente potentes na comunicação com outros “eus”, na descoberta de suas narrativas e na legitimação de seus discursos e corporeidades. “Eu acho que discursos, na verdade, habitam corpos. Eles se acomodam em corpos; os corpos na verdade carregam discursos como parte de seu próprio sangue.”, disse Judith Butler em “Como os corpos se tornam matéria: Entrevista com Judith Butler” (2002, p 163). Este trabalho, em sua qualidade virtual, é capaz de materializar as habilidades contraditórias do corpo, o fervor que pulsa em cada camada da pele, a densidade e a leveza de suas organicidades, a sua natureza de deformidades esculturais, a beleza e o espanto em diferentes tons e texturas.

Por Mariana Gualberto


É interessante perceber como a artista investiga o que lhe chama atenção, explorando o seu objeto de estudo ora isolado e solitário, ora justaposto em quantidade, evidenciando características relacionais distintas e profundidades que se modificam conforme a organização das linhas e formas. As cores do ensaio carregam o vigor de um corpo que se experimenta e que extrapola os espaços do quadro, de um corpo que está além de uma definição. Há um passeio do olhar pelos tons, que percorre temperaturas que esfriam e esquentam, influenciando a energia que os olhos recebem em cada foto. A única foto em que é possível perceber um rosto estabelece uma comunicação dúbia no que se refere a sua atmosfera, já que o fundo azul traz um aspecto mais frio; no entanto, o corpo em destaque rompe o espaço com voracidade e ardor, confundindo a vista entre ombro e seio.

Por Mariana Gualberto

O Autorretrato tem a potência de construir diferentes maneiras de estar no mundo e para o mundo, volta o olhar para si, não para imergir no fundo do umbigo, mas para manifestar a sua pluralidade, compartilhar descobertas e legitimar as suas múltiplas existências. Por fim, penso que este trabalho fotográfico da Mariana revela o processo criativo da artista ao tratar do corpo como campo infinito de criação, morte e renascimento, pois cria autonomia para ultrapassar limites pré-estabelecidos. Pensar em processo e vivenciá-lo de forma consciente é abrir tempos e espaços dentro de si, entre luzes e sombras, acasos e mistérios, e tudo o que envolve a trajetória dentro e fora de cada um*a*.


Ao leitor, obrigado por ler o nosso ensaio.


,Sobre as artistas:


Yve Louise iniciou sua trajetória artística no teatro aos sete anos quando se dedicou a estudos em interpretação e dramaturgia. Estudou na SP Escola de Teatro e ELT Escola Livre de Teatro. Em 2014 concluiu o curso profissionalizante de fotografia na Escola Fullframe. Em 2015 ingressou no curso de artes visuais no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, concluído no primeiro semestre de 2019. Atualmente seus projetos artísticos dialogam com a performance, a fotografia, a poesia e o audiovisual, refletindo sobre a relação do(s) corpo(s) em espaços coletivos e/ou individuais, seja no cenário urbano ou na criação de instalações para serem exploradas.

Instagram: @yvevendo


Mariana Gualberto tem pesquisa em fotografia e desde 2019 cursa Artes Visuais na Universidade Federal do Pernambuco.

Instagram: @m__gualberto

Estamos em movimento. Inscreva-se hoje!

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon